Wednesday, October 24, 2007

SADC deve apoiar solução para saída da crise na RDC

ImageOs Estados membros da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC) foram instados a contribuir para a estabilidade da zona Leste da República Democrática do Congo (RDC), que se encontra numa grave crise humanitária e de segurança, em virtude dos confrontos entre o Exército governamental e as tropas leais ao general dissidente Laurent Nkunda, da etnia tutsi.
O apelo foi feito segunda-feira, em Luanda, pelo ministro angolano das Relações Exteriores, João Miranda, durante uma reunião extraordinária da troika do Órgão Político e de Cooperação de Defesa e Segurança da SADC, que analisou a situação prevalecente no Leste da RDC.

“Os relatos que nos chegam são manifestamente alarmantes e é nosso dever contribuir com ideias e acções para que a República Democrática do Congo conheça a estabilidade e o Governo possa consagrar as tarefas de reconstrução e aprofundar o processo de harmonização nacional em curso”, defendeu o chefe da diplomacia angolana, para quem a situação na RDC implica igualmente a insegurança na região austral do continente.

Miranda recordou que a SADC acompanhou sempre o evoluir da situação na RDC (mesmo antes e depois das últimas eleições) e intervém política e diplomaticamente neste país, pelo que não podia ser de outra forma agora. “Por isso estamos aqui para procurarmos os meios e as vias que contribuam para uma solução rápida da crise que se instalou de forma gritante, deteriorando a já por si grave crise humanitária no Leste do país e sobretudo a situação de segurança”, justificou.

O ministro esclareceu que a reunião, em que participou igualmente o secretário executivo da SADC, o moçambicano Tomaz Salomão, foi convocada com base nas regras estatutárias e nas preocupações dos Chefes de Estado da região, à luz de um relatório submetido pelo Secretariado da organização, que chefiou a equipa que se deslocou a Kinshasa para avaliar a situação.

Esta é a primeira reunião da troika desde que Angola assumiu a presidência do Órgão Político e de Cooperação de Defesa e Segurança da organização, na Cimeira de Chefes de Estados e Governos, realizada em Agosto último, em Lusaka (Zâmbia). A troika é composta por Angola, Swazilândia e Tanzânia.
A delegação angolana foi integrada ainda pelos ministros da Defesa Nacional e do Interior, Kundi Paihama e Roberto Leal Monteiro “Ngongo”, respectivamente.

As delegações da Swazilândia e da Tanzânia foram chefiadas pelos seus respectivos ministros dos Negócios Estrangeiros, S.C. Magongo e Ali Iddi, respectivamente. A comitiva tanzaniana incluiu ainda o titular da pasta da Defesa, Omar Mzee.
Posted by Julinho in 17:56:06
Comments

Comments are closed.